É um tal de forçar os olhos abertos

De não agüentar notar os dispersos

De adorar sentir a pele ardida

De querer da vida apenas uma mordida

É um tal de não conseguir prestar atenção

De se despir de qualquer concentração

De cantarolar um samba-canção

De tudo ter a ver com o coração

...

É um tal de verão...