A beleza dos dias não está

nos números apressados do calendário.

Está nos momentos impossíveis de contar.