É do frio na barriga que eu estou falando.

De quando o cangote (adoro essa palavra) cisma de se arrepiar.

Daquela conversinha que os meus brincos fingem entender.

Daquela brisa quente que esbarra nos meus cabelos.

To falando disso.

Favor não confundir com sentimentalismos.

Aiai...

Sou vunerável demais pra isso.

1 comentários:

Luise Costa Lima disse...

sei bem. e nao tem nada a ver o topete com o laquê. risosss