Por entre ondas
Vejo um mundo sinuoso.
Um olhar que dá voltas,
Se embaraça,
se embaralha com o mar.

Caminhos retos
eu deixo para os chatos.
Traços perfeitos
eu deixo para os matemáticos.
Pontos incomuns
é o que eu espero.
Falta de lógica,
traga que eu quero.

Espiral que balança com o vento
Girassol vermelho que reluz.
Tão configurado em mim mesma.
Tão igual ao que eu sou.