Não sei o que é. Só sei que dói.

Aquela que mal se
conhece no espelho,
também não reconhece
os reflexos da alma.
Sem saber o que sente,
apenas sente.
E isso basta.
Mas não é suficiente.
Sente de tudo.
Com tudo.
Sente com os olhos,
com os ouvidos,
com as mãos, os rins,
o cérebro, o coração.
Sente até com os sentidos dos outros.
Dói.
Mas não sabe por quê.
Ama.

Mas não sabe o quanto.
Sangra.
Mas não sabe onde.
Sente.
Mas não sabe o quê.

3 comentários:

Josiane Cristina Armani Dagort disse...

Nossa que maravilhs este poema.....
tocante...
beijinhus

Caju disse...

Lindo.

Patrícia Oliveira disse...

Amei. Disse tudo.