Mais ou menos?


Tá certo. Quer dizer então que eu tenho que ser outras? Mais tchan, mais prafrentex, mais superficial, mais sem noção, sem pedidos de permissão, mais palavrão, muito mais razão. É isso?

Humm...

Tá certo então.

Só que antes, acho que vou precisar aprender a ser menos. Menos sentimento. Menos o que aprendi no amor que cresci. Menos coração. Será que é assim? A gente precisa deixar de ser para ser mais? Mas será que ser mais é ser melhor?

Depende do que é mais...

Acho que não quero.

Grata.

É isso.

Me deixa aqui quietinha. Bobinha. Rosinha. (#vai achando)

Deixa.

Deixa que o tempo trata de encaminhar o um de cada um. O mais que cada um merece. A flor que cada um plantou. Porque se o tempo é o que é, que ele seja primavera pra mim . Já que invernos, a vida se encarrega de trazer pro coração sempre e sempre. E lá na frente, a gente volta aqui, abre os álbuns, as memórias afetivas, as gavetas de alma. E talvez assim, só assim, eu entenda o que é o certo de ser.

1 comentários:

Prof. Marco Aurélio Buzetto disse...

Belo blog...

http://marcoaureliobuzetto.blogspot.com/

http://sejaoleitor.blogspot.com/

http://eusourebecavon.blogspot.com/

Siga os blogs acima, se puder. Obrigado.