remédio-letra



E quando a vida
me apresenta seus vazios,
colheradas de poesia.
Versos e versos
guela abaixo
peito a dentro.
E quando a desesperança
toma conta,
brisa-melodia canta
e entrelaça os cabelos meus
e me sugere fé.
Em verso e prosa.
Em rima e vírgula.
É assim que vivo:
Me pondo em frente.
Transparente em
minhas delicadezas
Suspirando as minhas
poucas certezas.

0 comentários: